O Ritual Do Livro Maldito-Conto

- baseado em fatos reais, os nomes dos personagens foram alterados.


Laíse andava distraidamente com sua amiga, em uma rua qualquer, indo para casa, cansadas e preguiçosas, se arrastavam pela rua vazia no final da tarde.
Estava prestes a escurecer, e no meio de uma cidade pequena podia-se ouvir o pio dos passarinhos, que voavam para o norte á procura de abrigo.
-Estou ficando com frio- murmurou Belatricé.
-Ah, por favor!- respondeu Laíse com desdém- Estava um calor escaldante agora á pouco!
estava...
A brisa glacial bateu com mais força no rosto das duas, fazendo seus cabelos chicotearem seus rostos.
Parecia que havia um pequeno redemoinho de vento a frente delas, que analisaram curiosas e sem dizer nada. um baque de algo se espatifando no chão ecoou pela rua vazia, e as duas olharam ao mesmo tempo para trás.
Não havia nada!
Laíse se voltou para frente, quando Belatricé deu um meio grito sufocado.
-Boa noite- disse uma velha senhora maltrapilha.
As duas responderam baixinho. Um ''boa noite'' cheio de receio.
-Vocês gostam de ler?- perguntou a velha com um sorriso de dentes amarelo, e presas podres, e um ar irônico satânico.
-Sim- responderam as duas ao mesmo tempo.
-Pois eu tenho algo interessante, que vocês iriam adorar- a velha continuava a falar irônicamente, olhando para os dois lados como se estivesse com medo de algo aparecer por ali.
-E o que seria?- responderam as duas nervosas, em conjunto.
A velha que antes tinha as mãos aparentemente vazias, descruzou os braços, e de origem desconhecida, surgiu-se um livro, meio que velho, a capa era marrom. Com marcas de unhas, e entre essas marcas, apenas um titulo; Maligno ...
Antes que as garotas pudessem sequer perguntar a velha saiu andando.
As garotas continuaram seu caminho, fazendo pouco caso da aparência da velha, mal sabia elas o que as aguardava. 

Quando elas foram analisar o livro, outro barulho estrondoso se seguiu rápido, elas olharam para trás e não havia nada que pudesse provocar um barulho como aquele. Na verdade a rua estava vazia.
A velha sumira.

As menina chegaram na casa de Belatricé, e esconderam o livro da mãe dela. Laíse iria dormir na casa da amiga, e os país de Belatricé iriam sair pra jantar. Elas iriam ficar sozinhas....
Assim que os país saram, elas, que estavam de pijama, foram ler o livro.
O título; MALDITO, intimidava. Mas Belatricé tirava sarro.
-Você esta com medinho, Laíse?
E Laíse, receosa, das zoações da amiga, abriu o livro escondendo o medo.
E começou a ler em voz alta.
As palavras lhes eram desconhecidas. Pareciam de uma língua estranha. Talvez, uma mistura de Latim com a antiga língua de magia Celta.
E sem saber elas começaram o ritual...
A tom de voz delas eram de indecisão, enquanto liam, tão concentradas, não perceberam que as luzes do andar d'baixo se acenderam sozinhas, a tv ligou, a luz do corredor, e logo a do quarto começou á piscar. e tudo entrou em movimento, e Laíse largou o livro. Mas já era tarde.
De repente, Belatricé com os olhos vidrados, como se algo a estivesse controlando, e recomeçou a ler.
-Largue isso já, Belatricé!!!- gritou Laíse aflita.
Laíse correu até Belatricé, jogou o livro no chão, e Belatricé falou em uma voz grossa que não era a dela.
-O ritual está feito.-depois disso Belatricé desmaiou.
Laíse ficou desesperada, dando tapinhas no rosto pálido, da amiga desacordada.
Tudo se apagou num instante. A casa ficou num breu total de escuridão, e Laíse ficou estática, não conseguia se mover.
Algo a agarrou!
Ela deu um grito que teria acordado toda a vizinhança.
-Laíse, o que está acontecendo?-era só Belatricé.
Risos ecoaram por toda a casa.
As duas correram para a cama, se cobrindo até a cabeça com o edredon, mas, nada podia deter os espíritos malignos.
Até que elas sentiram algo puxar seus pés. Elas então saíram debaixo do edredon, correndo escada abaixo, pelos corredores escuros da casa, ouvindo passos arrastados atrás delas, elas bateram em algo e caíram sentadas, gritaram, mais conseguiram chegar até a porta.
Do lado de fora, elas podiam ver que todas as luzes da casa começaram a piscar.
Mas,elas precisavam voltar, pois o livro ainda estava dentro da casa. Precisavam tirar aquele maldito livro da casa de Belatricé!
Quando entraram na casa, janelas portas tudo que dava para ser usado como saída, se fechou a risada da velha se espalho por toda a casa. A voz rouca da velha que lhe haviam dado o livro disse dentro da mente das duas, que elas iriam se arrepender.
A unica esperança que tinham de sair vivas era achando uma forma de combater os espíritos.
Tentaram de varias formas, mas não conseguiram, o unico jeito que acharam de se livrar dos espíritos,  foi dando-as ao sacrifício supremo pois achava que iria adiantar.
E Laíse disse;
-Nós iremos nos matar por seus país?- sua voz estava trêmula.
-A unica forma de nos livrarmos- Belatricé retrucou
Laíse que acreditava em tormento após a morte, revidou.
-Não vai adiantar! Pois eles continuaram na casa perturbando seus pais.
Então mudaram de idéia. 
Resolveram queimar o livro 
Mas, não adiantou  as marcas de unhas voltaram sujas de sangue e Laíse com marcas de arranhões em seu corpo todo.
E os espíritos, mas aborrecidos começarão a tentar matar as garotas, mas algo ali não deixava-os mata-las.
-Eu ja sei!- disse Belatricé ofegante.
-O que?- perguntou Laíse com um foi de esperança.
-Vamos jogar na casa da Dona Marta- Belatricé se referia a vizinha do lado.
-Pobre coitada!- murmurou Laíse penalizada.
-Coitada de nós! Isso sim! Sem essa Laíse, eu não quero morrer, nem você imagino, não vai adiantar nada, isso vai continuar de qualquer jeito!
Laíse se conformou concordando.
-Tabom!- as duas jogaram com a maior força possível, o mas longe que puderam.
E como magia tudo parou.

                                 ********


No dia seguinte, enquanto Luis, o filho de Dona Marta andava pelo quintal, achou um velho livro, com marcas na capa e um titulo aterrorizante; MALDITO.
E o levou para dentro de casa, curioso, começou a ler.

E A MALDIÇÃO DO LIVRO CONTINUA!






BE FONTANA & LAÍ FONTINELLE



7 comentários:

Beê Fontana disse...

ESSE CONTO FIZ COM A MINHA AMIGA, E AUTORA DO BLOG, LAÍ RAYANE, E EU ADOREI! AGENTE FEZ NA SALA, E EU ESPERO QUE ESTE CONTO ASSOMBREM MUITO VOCÊS A NOITE!

Laí Raiane disse...

Fizemos na sala de aula terminamos por msn e esperamos que voces se assustem muito *-* HA*HA

Nany disse...

Pow! Isso dá medo mesmo... Vocês são escritoras muito boas de contos de terror... Eu até já tentei escrever um, mas acabou virando um romance... Aliás, tudo que eu tento escrever acaba virando um romance. O.o MeDo...

Beê Fontana disse...

Obrigada Nany, quanto a questão de seus contos de terror só virarem romance, tudo isso é só questão da atenção no texto, e tentar não introduzir assuntos que não tenham a ver com o tema, mais romace & terror podem ser facilmente misturados. É só você saber combinar!

Shinoyacusa disse...

ola garotas muito bom o conto aterrorizante de vocês,só o final não gostei muito achei que vocês iriam vemcer os espiritos,não cairam pelas escadas no escuro ^^...mas muito bom mesmo parabens 0/

Be Fontana disse...

Acho que tentei fazer o mais parecido do real, que foi. Imagino que seja muito dificíl vencer um espirito, quando não se sabe nada de real, contra ela, kkkk'
Obrigada, antes de tudo...

Anjos e Crianças... disse...

Adoro escrever este tipo de conto,tenho dois cadernos jaah,em breve comecarei a postar para voces tenho certeza que iram adorar.